22.1.13


Aguarela (24 cm x 32cm)

 
239 dias depois voltei.

Entre o muito que fazer e a preguiça quem se lixou foi aqui o blog( …e outras coisas também!). Por isso, a todos os que por cá passaram à procura de ver algo novo peço desculpas. Tentarei ser bem mais assíduo daqui em diante.

Agora, quero falar de outra coisa!
 
Há muitas coisas capazes de me deixar feliz, alegre, radiante, e com um sorriso de orelha a orelha sempre que o motivo da conversa é esse, ou mesmo quando apenas vem à lembrança alguma memória que o faça recordar (o contrario também acontece).

O Vitória de Guimarães é uma dessas “coisas” capas de mexer bem no fundo nosso estado, ora para o bem, ora para o mal, como uma bela paixão. Nós Vitorianos somos assim… apaixonados pelo Vitória. Incondicionalmente.

Não é novidade nenhuma o que estou a escrever, eu sei! Nós Vitorianos sabemos, e mesmo os outros sabem… mas não sentem.
Apesar do Vitória passar por momentos difíceis, momentos que pareciam, muitas vezes, querer roubar-nos a esperança. Bastava ler os jornais e as más noticias não paravam de chegar, eram sempre umas piores do que as outras e vinham de todos os lados. Tanto financeiro como desportivo.
Os problemas continuam a existir, e acredito que ainda vá demorar muito até serem resolvidos (infelizmente), mas temos de volta a esperança em forma de miúdos que suam e batalham em campo e que nos tem dado boas alegrias.

Por isso (e era aqui que eu queria chegar), por essas alegrias que são responsabilidade desses rapazes é que temos de recuperar o ambiente do Afonso Henriques. Se não for em quantidade (para já), então que seja em qualidade como foi no jogo dos quartos-de-final da taça. Porque, como adeptos, é isso que eu acho que está ao nosso alcance de fazer neste momento. Apoiar em casa, fora e pelo caminho, mesmo quando os resultados não ajudarem.

 
Por agora fico por aqui.

Saudações Vitorianas.