23.11.10

Caixas para o pinheiro























O pinheiro é já no dia 29 de Novembro mas os preparativos começam bem antes com a organização do jantar, os ensaios, o arranjar das caixas e bombos…etc.

Normalmente costumo pintar a minha caixa e a dos meus amigos (a tinta da china), como é o caso das que estão aqui. Gosto de fazer referências ao passado histórico da cidade e claro, referências ao vitória. Eu curto e os meus amigos também curtem.
Ao pintar as caixas tenho o cuidado de deixar o centro da pele livre de qualquer pincelada, não só para não danificar o desenho como também para evitar que a pele se desgaste mais rapidamente.
O ideal seria pintar as caixas uns 6 meses antes para a tinta se entranhar bem na pele e para ficar com um aspecto envelhecido (com tinta da china consegue-se esse resultado), pessoalmente gosto assim.

A noite do pinheiro é uma festa activa em que todos os vimaranenses (e não só) estão convidados a participar e ao longo do tempo tem sabido evoluir mantendo as suas características. Por isso mesmo eu sou da opinião que o personalizar das caixas e bombos é uma maneira de enriquecer esta tradição e vincar ainda mais a personalidade das festas.
Assim como a junta de bois que carrega o pinheiro vem com versos em forma de crítica social, também as caixas e bombos podem ser veículos não só de desenhos mas também poemas, pensamentos, declarações de amor, pedidos de casamento, reivindicações…etç. É puxar pela imaginação.

Uma grande noite do pinheiro para todos.

21.11.10

Sketch noite do pinheiro






























Conjunto de desenhos rápidos a marcador edding 3000

Noite de 29 de Novembro é sempre a botar calor!!
É um exemplo do ser-se vimaranense, do sentir o que é nosso.
As imagens representam um pouco da noite que é, desde o jantar até à chegada ao largo república do Brasil (campo da feira), passando pelo ajuntamento nas imediações do castelo e o percurso pelas ruas.

19.11.10

Já cá faltava uma ela.


Tinha de aparecer aqui uma imagem de mulher, já estava a faltar.

Pois bem, este desenho está trabalhado em Photoshop por isso não da para reparar bem que é uma aguarela (o original). Contudo eu curti a brincadeirinha que fiz no Photoshop e pensei assim: bem, se as revistas publicam mulheres “photoalteradas” então eu também posso postar uma aguarela de mulher “photoalterada”, e assim fiz…não é? Fiz bem.
Claro que eu preferia fazer uma “obra de arte” com tintas e a pincel, mas de qualquer maneira as senhoras que queiram um trabalhinho de Photoshop já sabem, podem contar comigo (tipo, aquelas fotos de biquíni, no chuveiro, com aquele vestido de Verão, ou sem o vestido de Verão, mas que se notam umas banhinhas, uma celulitezinha…etc), eu melhoro. Quanto mais perfeitinha for a senhora melhor…menos trabalho tenho. BRINCADEIRINHA.
Agora a sério, com o tempo coloco mais trabalhos sobre o feminino e sobre a maneira como eu abordo essa temática.

15.11.10

VSC BD


 
Aqui está ela, a minha homenagem à vitória sobre os suínos habitantes de alem Morreira (nem gosto do termo “Marroquinos”, pois em Marrocos vejo algumas qualidades, já em suína bra… não posso dizer o mesmo).

Verdadeiro jogo de ódios onde só importa uma coisa… ganhar., e aí e sem dúvida, fomos os melhores. Somos sempre.

Foi um jogo precedido de vários ingredientes, desde logo a rivalidade que está sempre presente. Contudo este ano houve um pouco mais. O Vitória vinha de uma boa sequência de resultados e teve a garra suficiente para dar seguimento à soma de mais 3 pontinhos diante dos suínos de bra… que, pelo contrário, se apresentavam aqui em Guimarães com 2 derrotas nas 2 ultimas jornadas, e borrados de medo.
Ainda durante a semana que antecedeu o jogo, o suíno mor (salvador de adeptos, pelo menos tenta) veio ás compras a Guimarães e levou uns milhares de bilhetes para lá de Morreira e deu-os a quem quisesse vir passear em Guimarães (parecia natal antecipado), e fez bem, pois esta cidade é mesmo bonita para caminhadas, mesmo com chuva. De tão generoso que é não se esqueceu de dar uns vagões para os trazer cá, só se esqueceu de por a sinalização de transporte de animais vivos, (eu não vi o comboio mas falaram-me desse pormenor) cuidado pois isso dá multa.
As bolas de golfe que teoricamente haviam esgotado em Guimarães (o que é mentira) afinal tinham motivos generosos por parte de quem as comprou. Pois bem, eu sei de pelo menos 2 motivos.
Um dos motivos está claro, servia para sinalizar que estavam na linha certa para Guimarães, se assim não fosse eram gajos que chegavam a covas e voltavam para trás “pensando” que estavam na linha errada, burros como eles são! Os pneus queimados e as pedras tinham a mesma finalidade. Assim foi com os que vieram de comboio e com os que vieram na camioneta, que, segundo sei, também não trazia a tal sinalização.
O outro motivo, bem, eu acho que era para dar início à troca de prendas no interior do estádio, se não reparem bem... nós tínhamos bolas para trocar por torneiras; nos tínhamos petardos e eles tochas para nos atingir; nós tínhamos cânticos eles tinham grunhidos; nós tínhamos um atirador de telemóveis e eles tinham um boneco para levar com ele; eles tinham 1 golo e nós tínhamos 2 para eles; eles tinham o árbitro (palhaço! Nem sei como não marcou fora de jogo ao golo do Miguel Garcia) mas nos tínhamos a vontade de vencer; nós tivemos um grande speaker (acho mesmo que seja o mourinho dos speakers) e eles tiveram a vergonha muda de nos ouvir; eles tinham um jornaleiro linguarudo mas nos tínhamos o Manuel Machado para o mandar calar (gostei muito de ouvir o Manuel Machado), e … enfim …etc … etc…

Resumindo, foi 1 bom sábado, óptimo sábado. Como é bom ser vitoriano.

Concluindo, 11 jornadas concluídas 21 pontos no papo.

E para acabar, a aguarela da esquerda (39,5 cm X 32 cm) eu vendo, 50 euros. Se o Salvador a quiser eu também a vendo a ele mas só por 5000euros, já que é tão generoso!
O desenho da direita não vendo, é apenas uma sugestão para a alteração do símbolo do bra…! Uma ideia já muito antiga.

3.11.10

Retratos em acrilico sobre tela.

Retratos a carvão

                                   





















Aqui estão 2 exemplos de retratos feitos em carvão.
O da esquerda foi feito em 2006,contudo continua a ser um dos que eu mais gosto. Elaborado de forma simples e sem grande recurso ao pormenor consegue captar toda a expressão das personagens. Creio que a simplicidade do desenho foi o segredo para o rotular como um dos retratos mais bem conseguidos por mim.
O da direita é um retrato de 2007 feito em carvão também, este mais elaborado. Gosto do resultado final do desenho mas tenho especial apreço pelo resultado conseguido no olhar do senhor.